Como achar o número correto de seu sapato social.

Introdução

Um fio sobre sapatos sociais masculinos, com detalhes sobre métodos de fabricação, como reconhecer um sapato de qualidade e, mais importante, como achar o seu número correto.

Um bom sapato dura décadas, mas só vale a pena se ele for confortável.

“Como assim, um sapato dura décadas?!?”

Um exemplo: o Carlinhos (somos íntimos) usa o mesmo par de Oxfords da marca Church desde 1971:

Carlinhos em 1971 com seu par novinho de oxfords
Carlinhos, nos dias de hoje, com o mesmo par de Oxfords.

Há três segredos para uma vida útil tão longa:

  1. Cuidado periódico com a hidratação do couro. Escrevi sobre isso aqui: (1) ouriço de cartola no Twitter: “Vamos cuidar dos nossos calçados? Segue o fio! https://t.co/QqOreJkDYT" / Twitter
  2. comprar sapatos de couro de qualidade
  3. comprar em lojas que ofereçam o serviço de troca da sola (e aí fica a dica: se a loja tem esse serviço é sinal forte de que o couro que usam para os sapatos é de boa qualidade).

Lição do dia: o sapato social mais caro que existe é o barato, pois exige que você compre novos sapatos constantemente.

Formato de pés e reducionismo.

Antes de entrar propriamente nos sapatos, falemos um pouco sobre os pés. Pés, como todos sabemos, vêm em todos os tipos de formatos, pisadas e tamanhos.

Quanto aos formatos, há 5 tipos básicos, o egípcio, o romano, o grego, o germânico e o celta. Estas classificações levam em conta a configuração dos dedos, como se nota na figura abaixo:

Pés no formato grego ou egípcio se adaptam melhor aos sapatos com bicos mais finos, enquanto os germânicos e celtas estão em casa em sapatos com bicos mais largos. O Romano fica no meio do caminho.

Além disso, quanto ao arco, o pé pode ser normal, chato ou cavo, de acordo com a presença ou não do arco no pé e sua altura. Geralmente o pé normal terá uma pisada normal, o cavo uma pisada supinada (para fora) e o chato uma pisada pronada (para dentro). O pé chato via de regra será o mais baixo e o cavo o mais alto.

Além disso, os pés podem ser estreitos ou largos. Foi pensando nas três principais medidas dos pés (comprimento, largura e tamanho do arco) que C.F. Brannock inventou o dispositivo de Brannock, muito usado fora do Brasil para medir os pés:

Página do pedido de patente do dispositivo de Brannock

A ideia do dispositivo é que, com as medidas do comprimento, largura e tamanho do arco, se possa encontrar uma forma de sapato ideal para o seu pé. Nesse sistema você teria não um, mas três números de sapato: o do comprimento, o da largura e o do arco. Na prática, porém, a regra é haver apenas a medida do comprimento (que é “o número que você calça”) e há poucos fabricantes que têm formas diferentes para as várias larguras de pé, sendo mais raro ainda os que têm também variações para as diversas alturas de arco do pé.

Uma observação: nos Estados Unidos há padrão para a numeração tanto do comprimento do pé (que é o número do sapato) quanto da largura (os sapatos podem ter largura “aaa”, “aa”, “a”,“b”, “c”, “d”, “e”, “ee”, e “eee”). Nas empresas que disponibilizam tais variantes de formas você vai usar o dispositivo Branock para fazer ambas as medidas.

Como escolher sapatos do tamanho certo

Dito tudo isso, vamos ao que importa: como comprar um sapato do tamanho certo.

O erro mais comum é comprar um sapato com número errado. Isso acontece por vários motivos. O principal é que cada sapato é baseado em uma forma (last), e cada forma tem suas características, que se adequam melhor a uns tipos de pés e não outros. Assim, é completamente normal você calçar um número 42 para uma marca e 43 para outra. Às vezes, para a mesma marca, seu número ideal pode ser 40 para um sapato com um design e 39 para outro. Por exemplo, a marca húngara Vass colocou uma ferramenta online para que o cliente busque o número ideal para um determinado design se souber o seu número para outro. https://vass-shoes.com/size-guide/?fbclid=IwAR05HEvx3hm7fXEEW3W_X-EJBMoFrbxeUnNgimjiD6oagKL-BM4BP51EGU0

As diversas formas dos sapatos da Vaas.

E, para entender a relação entre forma e conforto, precisamos descrever o básico da estrutura de um sapato.

Sapatos são objetos tri-dimensionais, o que parece óbvio, mas não é, já que o mais comum é querermos reduzir todas as complexidades de um calçado a um número só. Mais ainda, sapatos não são objetos firmes. Um bom sapato se molda ao seu pé e, portanto, é bem provável que o sapato que melhor caiba em você pareça, à primeira vista, não ser de todo confortável.

As estruturas mais importantes de um sapato para chegar ao tamanho correto são a forma como o arco do calcanhar apoia seu pé, se o peito do seu pé (instep) cabe direito dentro do sapato (tem gente com pé chato e outros com pé cavo), se a parte mais larga do seu pé encontra apoio na parte mais larga do sapato, e se seus dedos se encaixam bem no calçado, sem ficarem espremidos ou dançando dentro dele. Ou seja, só aí temos quatro medidas para acharmos um sapato confortável, o que vai muito além do número que você pede pro vendedor pegar pra você experimentar.

Dito isso tudo, como saber se o sapato serve para você?

  1. O ideal é experimentar. Infelizmente, é bem difícil comprar sapatos masculinos de qualidade remotamente, só pelo número do calçado. Algumas marcas de boa qualidade tentam indicar qual o melhor tamanho para o cliente, mas cada pé é um pé (e tem gente que tem números diferentes entre pés direitos e esquerdos!).
  2. O sapato deve ser bem justo. Isso mesmo! Não é pra ter um sapato folgado de saída. Couro cede. O solado se molda aos seus pés. Um sapato já folgado vai provavelmente resultar num pé sambando dentro dele, o que não só causa problemas ortopédicos, como gera rugas e outras deformações feias no calçado.
  3. Um problema: um sapato de boa qualidade e que sirva bem no seu pé, paradoxalmente, requer um período de ajuste. Assim, um sapato novo nunca deve ser usado para se andar muito no primeiro dia. Ele provavelmente vai arranhar o calcanhar e raspar no peito do pé e nos dedos. Um professor da NYU amigo de um dos autores deste texto comprou um sapato bem bonito da Magnanni e usou na viagem de Nova York pra Shanghai. Chegou com o calcanhar sangrando e queria devolver o sapato. Falamos pra ele pra usar mais duas vezes, em ocasiões que não fosse andar muito. Pronto. Hoje, o sapato veste como se fosse uma luva (com trocadilho) e ele pode andar o dia inteiro sem problemas.
  4. Sapatos de boa qualidade são desenhados para que a ponta fique longe dos dedos. Então, não se assuste se os dedos do seu pé não chegarem perto do final do calçado. É assim mesmo.
  5. O seu pé tem que caber de forma bem justa dentro do sapato, sem estar espremido. É um pouco difícil explicar, mas é normal que seu dedo mindinho raspe na borda do sapato, o seu peito do pé pareça bem justo e o calcanhar arranhe. Mas não é pra sofrer! O arco do calcanhar ter que estar bem apoiado, mas não é pro seu pé entrar mediante um esforço militar.
  6. Conheça seu pé! Um dos autores tem o direito chato e o esquerdo destruído pelo basquete, o que significa que pra uma determinada marca ele comprou um sapato 43 largo pro pé direito e 43 normal pro esquerdo. Aliás é bem comum que uma pessoa tenha os pés com tamanhos diferentes e é por isso que se deve medir os dois pés para descobrir o seu número e experimentar os sapatos nos dois pés.
  7. É também possível, como em alguns casos, que seja quase impossível ter um sapato confortável de uma determinada marca. Um dos autores desse fio tentou de todas as formas achar o número adequado da marca Carmina mas desistiu. As formas da marca são ideais para quem tem pés com peitos do pé mais chatos, o que não é o caso do “coitado”, que tem um peito do pé alto (“high-instep”).
  8. A forma de construção do sapato afeta o período de ajuste. Por exemplo, um sapato com construção “Goodyear” é normalmente mais firme que um sapato “Blake” (ou blaqueado, como se chama no Brasil) e requer um período de ajuste maior. Vamos fazer um artigo sobre tipo de construção de sapatos, mas em termos de “qualidade”, o melhor tipo de sapato masculino é costurado à mão (handwelted), com os métodos “Goodyear” e “Blake (e sua variante, Blake-Rapid)” sendo os outros mais usados pelas boas marcas.

Mas por quê se preocupar com o tamanho certo? Porque um sapato maior que o ideal vai causar estrias/rugas feias. É só olhar esse exemplo, um sapato de altíssima qualidade mas q simplesmente é grande demais:

Um sapato muito grande formará rugas/estrias bastante ressaltadas

Agora observem outro sapato da mesma marca, no tamanho certo:

Sapatos no tamanho certo terão rugas e estrias muito menos ressaltadas.

Sapatos de couro sempre terão estrias. Couro cede, afinal. Mas não há como negar que as estrias do segundo exemplo são esteticamente mais agradáveis que as do primeiro.

Notem também que no segundo exemplo é possível ver que os cadarços estão bem ajustados, sem o formato em “V” do exemplo anterior (mas se alguém tiver peito do pé alto, provavelmente não vai conseguir evitar por completo a abertura em “V” — e tudo bem).

Por último, um sapato do tamanho certo não vai causar nenhum dano de longo prazo, o que pode acontecer se alguém caminhar por longas distâncias com um calçado mal ajustado.

Em resumo, um sapato social é do seu tamanho se o seu pé ficar bem apoiado por completo dentro do sapato, sem ficar sambando. E os primeiros dias de uso podem causar algum desconforto. Ah, e se possível não use o mesmo sapato social por dois dias seguidos (tente manter uma forma de madeira dentro do sapato, se vc tiver acesso a uma; afinal, couro cede e o ideal é tentar manter a estrutura do sapato pelo maior tempo possível). Até uma forma de plástico é melhor que nenhuma, mas a de madeira ajuda a retirar o odor depois do uso.

--

--

--

Aqui se fala de atracamento de navio a zurro de mula.

Love podcasts or audiobooks? Learn on the go with our new app.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store
Ouriço de Cartola

Ouriço de Cartola

Aqui se fala de atracamento de navio a zurro de mula.

More from Medium

Explaining OOP classes with RPG classes

CS373 Spring 2022: Cole Weinman — Week 2

The Best Accessibility Features You’ve Never Heard Of

Planter’s Diary: Costa Rican Vs Guatemalan Vs Colombian

A young multi-stem Robusta Coffee patch on a South Indian plantation